Mercado: Malásia - CEVAL
25738
post-template-default,single,single-post,postid-25738,single-format-standard,ajax_fade,page_not_loaded,,qode_grid_1300,footer_responsive_adv,qode-content-sidebar-responsive,transparent_content,qode-theme-ver-11.0,qode-theme-bridge,wpb-js-composer js-comp-ver-5.1.1,vc_responsive
 

Mercado: Malásia

Mercado: Malásia

A Malásia é um país com uma população de 31,6 milhões de pessoas, em 2017, e um PIB per capita de de 9 950 USD, segundo dados do EIU – The Economist Intelligence Unit.

A organização política e económica da Malásia é fruto do seu passado histórico, sendo a estrutura federal do país um vestígio dos antigos sultanatos independentes. A península obteve a independência da Grã-Bretanha em 1957, mas a formação da Malásia atual só culminaria em 1965, com a saída de Singapura da Federação Malaia. O país está dividido em treze estados e três territórios federais.

A atividade económica da Malásia desde há muito que se encontra centrada nas exportações, sendo o grau de abertura da economia ao exterior bastante elevado. O investimento direto estrangeiro tem sido fundamental para assegurar o êxito deste modelo de “industrialização exportadora”.

A economia do país tem registado um desenvolvimento muito positivo nos últimos anos, com o crescimento real do PIB a situar-se numa taxa média de 5,2% ao ano, no período de 2013-2017, impulsionado, fundamentalmente, pelo consumo privado. O EIU prevê um acréscimo médio anual do PIB de 5,5% para o período 2018-2022, perspetivando que o consumo interno continue a ser o principal motor do crescimento económico na Malásia.

A Malásia foi o 25º exportador e o 26º importador a nível mundial, ficando no 32º lugar enquanto recetor de IDE (investimento direto do exterior) e no 29º como emissor de investimento direto no exterior em 2017.

Em termos do relacionamento económico bilateral, a Malásia ocupou a 68ª posição no ranking de clientes das exportações portuguesas de bens em 2017, situando-se no 62º lugar enquanto fornecedor. As exportações portuguesas para a Malásia aumentaram nos últimos cinco anos, sendo a respetiva taxa de crescimento médio anual de 31,8%. O número de empresas portuguesas que exportam produtos para Malásia tem vindo também a aumentar, registando um acréscimo de cerca de 43% em 2017 face a 2013.

Ao nível das trocas comerciais, o regime de importação na Malásia tem vindo a ser objeto de várias reformas no sentido de uma maior liberalização, de acordo com os ditames da OMC. Não obstante as melhorias verificadas, a política comercial continua a ser utilizada pelo Governo (via Ministry of International Trade and Industry – MITI) como instrumento de desenvolvimento e proteção de alguns setores industriais (ao nível aduaneiro/tarifário e do sistema de licenciamento prévio) de entre os quais se destaca o setor automóvel e seus componentes, a indústria siderúrgica e cimenteira.

 04/09/2018

Fonte:AICEP



Chinese (Simplified)DutchEnglishFrenchGermanItalianPortugueseSpanish
%d bloggers like this: