Viana do Castelo é sede nacional do programa ComécioDigital.pt | CEVAL
Viana do Castelo é sede nacional do programa ComécioDigital.pt | CEVAL
22136
post-template-default,single,single-post,postid-22136,single-format-standard,qode-quick-links-1.0,ajax_fade,page_not_loaded,,qode_grid_1300,footer_responsive_adv,qode-content-sidebar-responsive,transparent_content,qode-theme-ver-11.0,qode-theme-bridge,wpb-js-composer js-comp-ver-5.1.1,vc_responsive
 

Viana do Castelo é sede nacional do programa ComécioDigital.pt

Viana do Castelo é sede nacional do programa ComécioDigital.pt

de Andrea Cruz (RAM)

Viana do Castelo vai ser, durante dois anos, a sede nacional do programa ComércioDigital.pt. O programa foi hoje, oficialmente, apresentado no Castelo Santiago da Barra. O objetivo é  colocar na economia digital cerca de 50 mil pequenas e médias empresas, fornecendo-lhes “ferramentas” que as ajudem a ter os seus negócios ‘online’.



“Em todo o mundo, há 1,4 mil milhões de pessoas que já fazem compras ‘online’ e mais de um terço faz essas compras fora do seu país. É esta a oportunidade que temos de aproveitar. Vender para 500 milhões de pessoas”, afirmou o presidente da Associação da Economia Digital (ACEPI), Alexandre Nilo Fonseca.

O responsável, que falava no auditório do Castelo Santiago da Barra, em Viana do Castelo, durante o lançamento nacional daquele programa, disse que “atualmente 70% dos portugueses já estão na internet e mais de 35% fazem compras na internet”, sendo que, “em 2017, gastaram 4,6 mil milhões de euros em compras ‘online’”.

Adiantou que “o comércio digital é utilizado por cerca de três milhões de consumidores portugueses e responsável por um volume de negócios de cerca de 70 milhões de euros”.

Alexandre Nilo Fonseca revelou ainda que em Portugal “60% das empresas não tem qualquer tipo de presença na internet”.

“Nos dias de hoje, não estar ‘online’ é como não existir. Através de um ‘roadshow’ nacional, que vamos promover a partir de setembro em 150 locais, com apoio de uma academia digital, o programa vai ajudar milhares de pequenas empresas portuguesas do comércio e serviços a terem a sua primeira presença ‘online’ e a conhecerem as ferramentas essenciais do ‘marketing’ digital,” frisou.

Para aquele responsável este programa “visa combater o desaparecimento dessa parte da economia portuguesa e representa uma oportunidade extraordinária para as empresas se darem a conhecer ao mundo”.

O programa ComércioDigital.pt, apoiado pelo Ministério da Economia, é uma iniciativa conjunta da Associação da Economia Digital (ACEPI) com a Confederação do Comércio e Serviços de Portugal (CCP).

Tem como objetivo “a modernização e capacitação de mais de 50 mil Pequenas e Médias Empresas (PME), com atividade de comércio e serviços, na adoção de uma efetiva e consequente presença na internet, utilização e aquisição de ferramentas de ‘marketing’ digital, para um crescimento sustentável e globalizado dos seus negócios”.

Com o lema “o seu negócio mais perto do futuro”, o ComércioDigital.pt vai permitir às empresas aderentes a captação de novos clientes, tanto no mundo físico como no digital, o acesso a novos mercados nacionais e internacionais e a otimização dos seus processos de organização.

Para o presidente da Confederação do Comércio e Serviços de Portugal (CCP), João Vieira Lopes, o programa “pode dar um importante contributo para assegurar às micro e PME do setor do comércio as ferramentas necessárias para garantir a sua participação na era digital”.



O secretário de Estado Adjunto e do Comércio, Paulo Alexandre Ferreira adiantou que o “Governo apoiou desde a primeira hora” o ComércioDiggital.pt que começou a ser preparado há um ano.

O governante realçou também não ter sido “obra do caso” a escolha de Viana do Castelo para sede nacional, durante os próximos dois anos.

“É simbólico termos escolhido esta cidade para sediar o ComércioDigital.pt. É notória a importância que as relações comerciais tiveram, têm e terão em Viana do Castelo ainda mais fruto da presença e proximidade ao mercado espanhol”, referiu.



Para o presidente da Câmara de Viana do Castelo, José Maria Costa, reforçou “a forte ligação transfronteiriça com a Galiza” e “a importância de um mercado com quatro milhões de consumidores”.

O autarca socialista destacou também que a escolha de Viana do Castelo para sede nacional do programa “vem colocar em evidência a dinâmica empresarial” da capital do Alto Minho.

“A excelência dos nossos produtos e a qualidade do nosso tecido comercial vão ser muito bem aproveitadas com esta nova plataforma”, frisou.

Fotos: Ricardo Sousa/DR-RAM



Chinese (Simplified)DutchEnglishFrenchGermanItalianPortugueseSpanish
%d bloggers like this: