Cabo Verde - CEVAL
17406
post-template-default,single,single-post,postid-17406,single-format-standard,qode-quick-links-1.0,ajax_fade,page_not_loaded,,qode_grid_1300,footer_responsive_adv,qode-content-sidebar-responsive,transparent_content,qode-theme-ver-11.0,qode-theme-bridge,wpb-js-composer js-comp-ver-5.1.1,vc_responsive
 

Cabo Verde

Cabo Verde

Cabo Verde

Mercado

Pequeno Estado insular constituído por um arquipélago de dez ilhas, Cabo Verde beneficia do facto de se situar geograficamente no centro das importantes rotas comerciais que ligam a África e a Europa aos mercados da América do Sul e da América do Norte A economia cabo-verdiana assenta, sobretudo, no sector dos serviços, com o comércio, os transportes, o turismo e os serviços públicos a representar, em 2016, mais de 74% do Produto Interno Bruto (PIB).
O ano de 2016 fechou com um aumento da atividade económica, crescendo para 3,9%, tendência que se intensificou em 2017, com um crescimento estimado de 4,6%, suportado por um aumento da procura externa, do turismo e da recuperação da procura doméstica. Para 2018-19, o Economist Intelligence Unit (EIU) perspetiva um ligeiro abrandamento económico, para uma taxa média anual de 4,1%.
Apesar da pequena dimensão da sua economia, Cabo Verde é um importante parceiro comercial de Portugal. A balança comercial de bens e serviços entre os dois países é tradicionalmente favorável a Portugal. Em 2016, o saldo atingiu 275,6 milhões de euros, o melhor resultado dos últimos cinco anos.
No período janeiro-novembro de 2017, o montante das exportações portuguesas de bens para Cabo Verde registou, em termos homólogos, um acréscimo de 2%, enquanto as importações cresceram 39,5%, situação que contribuiu para um saldo positivo da balança comercial de 233,1 milhões de euros. As máquinas e aparelhos têm sido dominantes nas exportações portuguesas para Cabo Verde (18,8% do total em 2016), seguidas dos produtos agrícolas (13% do total).
A liberalização do comércio externo em Cabo Verde tem vindo a ser executada de forma gradual e progressiva e as operações de importação e exportação são livres para os agentes devidamente credenciados. O acesso de estrangeiros ou nacionais à atividade económica não é objeto de restrições, estando consagrada a liberdade de estabelecimento em todos os sectores de atividade.

+ conteúdos sobre Cabo Verde

02/02/2018

Fonte:AICEP

Partilhar:



Chinese (Simplified)DutchEnglishFrenchGermanItalianPortugueseSpanish
%d bloggers like this: