CIP defende o reforço do movimento associativo empresarial regional para fortalecer o apoio às PME | CEVAL
24501
post-template-default,single,single-post,postid-24501,single-format-standard,qode-quick-links-1.0,ajax_fade,page_not_loaded,,qode_grid_1300,footer_responsive_adv,qode-content-sidebar-responsive,transparent_content,qode-theme-ver-11.0,qode-theme-bridge,wpb-js-composer js-comp-ver-5.1.1,vc_responsive
 

CIP defende o reforço do movimento associativo empresarial regional para fortalecer o apoio às PME

CIP defende o reforço do movimento associativo empresarial regional para fortalecer o apoio às PME

Lisboa, 3 de setembro de 2018 – A Confederação Empresarial de Portugal (CIP) em conjunto com a consultora Deloitte, está a ultimar o primeiro estudo realizado em Portugal sobre o Associativismo Empresarial Regional. Com este documento, a CIP quer contribuir para a restruturação do movimento associativo empresarial regional, de forma a garantir que as associações empresariais possam responder de forma mais eficaz às necessidades das pequenas e médias empresas de todas as regiões do país. O estudo será entregue em breve e em primeira mão ao Primeiro-Ministro, António Costa. 

No total, o documento identificou a existência de 1.064 associações empresariais em Portugal, sendo que deste número 549 associações são de âmbito regional. Mas mais do que traçar uma radiografia sobre o trabalho realizado pelas associações empresariais por todo o país, o estudo “Movimento Associativo Empresarial Regional – Um Contributo para o Desenvolvimento do País” desenha uma estratégia com medidas concretas que visam repensar e reforçar o movimento associativo empresarial regional em Portugal.

“Com este trabalho a CIP, através do seu Conselho Associativo Regional, pretende dar um contributo para restruturar o movimento associativo em Portugal e fornecer um conjunto de soluções que permitam preparar as Associações Empresariais Regionais do Século XXI”, afirma António Saraiva, Presidente da Confederação Empresarial de Portugal (CIP).

Entre os principais objetivos identificados no estudo está o aprofundamento da cooperação entre a Administração Pública e as Associações Empresariais Regionais. Por outro lado, o documento defende também o desenvolvimento de uma nova proposta de valor para as associações empresariais regionais, com base num novo modelo de prestação de serviços. Ao mesmo tempo, o estudo recomenda a criação de um enquadramento legal e reivindica a participação obrigatória das Associações Empresariais Regionais nos organismos regionais de desenvolvimento regional e gestão de fundos europeus (Ex: CCDR e CIM).

Luís Miguel Ribeiro, Presidente do Conselho Associativo Regional da CIP, lembra o papel decisivo que as associações empresariais desempenharam no desenvolvimento económico das várias regiões e ao seu tecido empresarial: “As Associações Empresariais têm tido um papel decisivo na disseminação de informação às empresas, na formação profissional dos gestores e colaboradores e na promoção da internacionalização”, sublinha.



Chinese (Simplified)DutchEnglishFrenchGermanItalianPortugueseSpanish
%d bloggers like this: