Aumento de quase 20% na criação de novas empresas em janeiro

Aumento de quase 20% na criação de novas empresas em janeiro

Foram constituídas 6.333 novas empresas em janeiro deste ano, o que traduz um aumento de 19,8% face a 2018. As ações de insolvência aumentaram 7,4%

 

A abertura de novas empresas em janeiro deste ano teve um impulso de 19,8% face ao período homólogo de 2018. O ano arrancou com 6.333 novas empresas constituídas versus 5.288 em janeiro do ano passado.

 

Em termos absolutos, o distrito de Lisboa liderou o ranking com 1.974 novas constituições, que traduzem um aumento de 8,7% face ao ano passado. O Porto surge em segundo lugar, com 1.146 novas empresas e um incremento de 17,3%. Em termos percentuais, os distritos com diferenciais mais significativos foram: Horta (150%), Castelo Branco (83,3%) e Évora (63%). Vila Real e Madeira foram os distritos com decréscimos face a 2018. Vila Real passou de 62 para 57 novas empresas (-8,1%) e a Madeira reduziu de 144 para 137 (-4,9%). Angra do Heroísmo, com 17 novas constituições, é o único distrito com crescimento zero em 2019.

 

Todos os setores de atividade apresentam uma variação positiva face ao ano passado. O setor Outros Serviços registou um total de 2.804 novas empresas, mais 12,2% que em 2018, enquanto a Construção e Obras Públicas viu nascer 832 empresas, o que traduz um aumento de 49,6%. As atividades de Hotelaria e Restauração surgem na terceira posição em termos absolutos, com 592 novas constituições e um aumento de 5,3% face a janeiro de 2018. O crescimento mais significativo foi, no entanto, registado no setor Transportes que passou de 188 novas empresas em 2018 para 393 em janeiro deste ano (aumento de 109%).

 

As ações de insolvência em janeiro aumentaram 7,4% face a 2018, embora as insolvências requeridas (DIR) tenham decrescido de 122 em 2018 para 89 (-27%) e as ações de insolvência apresentada (DIA) tenham baixado de 133 para 112 (-15,8%). Os planos de insolvência também apresentam valores inferiores – variação de oito para três em janeiro deste ano (-62,5%). A conclusão de processos (DI) foi a única ação que cresceu, evoluindo de um total de 211 em 2018 para 305 em janeiro último (aumento de 44,5%).

 

Lisboa e Porto são os distritos com mais insolvências em termos absolutos, 103 e 134 respetivamente. Estes valores traduzem uma diminuição de 10,4% em Lisboa e um aumento de 21,8% no Porto.

 

Há reduções a registar em sete distritos (31,8% dos distritos nacionais) que representam 28,1% do número total de insolvências no período em análise. Esses distritos são: Évora (-70%), Lisboa (-10,4%), Santarém (-9,1%), Viana do Castelo (-12,5%), Vila Real (-66,7%), Viseu (-54,5%) e Ponta Delgada (-33,3%). Os maiores aumentos de insolvências foram registados em Bragança (+150%), Coimbra (122,2%) e Faro (66,7%).

 

Por setores, os principais decréscimos registam-se nas atividades de: Eletricidade, Gás e Água (-100%), Comércio por Grosso (-27%), Construção e Obras Públicas (-11,9%) e Comércio a Retalho (-7,5%). Os aumentos mais significativos surgem nas atividades de: Agricultura, Caça e Pesca (+75%), Indústria Transformadora  (+36%) e Outros Serviços (31%).



Chinese (Simplified)DutchEnglishFrenchGermanItalianPortugueseSpanish
%d bloggers like this: