Mercado: Macau - CEVAL
25834
post-template-default,single,single-post,postid-25834,single-format-standard,bridge-core-1.0.4,ajax_fade,page_not_loaded,,qode_grid_1300,footer_responsive_adv,qode-content-sidebar-responsive,transparent_content,qode-child-theme-ver-1.0.0,qode-theme-ver-18.0.9,qode-theme-bridge,qode_header_in_grid,wpb-js-composer js-comp-ver-5.7,vc_responsive
 

Mercado: Macau

Mercado: Macau

Macau é uma Região Administrativa Especial da República Popular da China (RAEM) desde dezembro de 1999, conta com uma população de cerca de 645 mil habitantes e apresenta dos valores mais elevados da região da Ásia-Pacífico em termos de PIB per capita.

A economia de Macau registou, em anos relativamente recentes, um notável desenvolvimento, fruto da boa performance do setor do jogo e do turismo, que desempenha um papel preponderante na economia do território. De facto, a liberalização da indústria do jogo (este setor tem um peso bastante considerável nas receitas orçamentais), que permitiu injetar no território elevadíssimos investimentos de algumas das mais importantes operadoras internacionais, sobretudo americanas, bem como a abertura das fronteiras da China Continental, constituíram fatores essenciais para que a economia macaense registasse um crescimento assinalável.

No entanto, a economia dessa Região Administrativa Especial da República Popular da China registou a partir de 2014 uma contração, que se acentuou em 2015, e que em 2016 foi mais ténue, devido essencialmente à redução das receitas do jogo, perspetivando-se que o produto interno bruto (PIB) possa retomar o crescimento já em 2017.

A RAEM foi o 143º exportador a nível mundial e o 93º importador em 2015, sendo o 56º recetor de investimento direto do exterior em 2016.

Macau pretende acelerar a construção da plataforma de serviços para a cooperação comercial entre a China e os Países de Língua Portuguesa.

Em termos do relacionamento económico bilateral, Macau ocupou a 59ª posição no ranking dos clientes das exportações portuguesas em 2016, situando-se no 137º lugar enquanto fornecedor. As exportações portuguesas para Macau registaram, nos últimos cinco anos, uma taxa média de crescimento anual de 16,8%.

Ao nível das trocas comerciais, de um modo geral, as mercadorias podem ser importadas livremente, desde que acompanhadas da documentação exigida para a categoria de produtos em causa, e após o controlo sanitário ou fitossanitário a efetivar, quando necessário, pelas entidades competentes. As exceções são residuais ( produtos de importação proibida).

Macau caracteriza-se pela política de porto franco, com um ambiente de negócios atrativo para a realização de operações de investimento e a criação de empresas que beneficiam de um regime simplificado e ágil no que respeita às formalidades a observar pelos promotores.



%d bloggers like this: