Mercado: Marrocos - CEVAL
25786
post-template-default,single,single-post,postid-25786,single-format-standard,bridge-core-1.0.4,ajax_fade,page_not_loaded,,qode_grid_1300,footer_responsive_adv,qode-content-sidebar-responsive,transparent_content,qode-child-theme-ver-1.0.0,qode-theme-ver-18.0.9,qode-theme-bridge,qode_header_in_grid,wpb-js-composer js-comp-ver-5.7,vc_responsive
 

Mercado: Marrocos

Mercado: Marrocos

Com cerca de 35,3 milhões de habitantes, dos quais 43% com menos de 30 anos, Marrocos caracteriza-se por ter uma maior estabilidade política, social e económica face a outros países da região. As reformas económicas introduzidas ao longo dos últimos anos, a crescente abertura ao exterior, o assinalável investimento em infraestruturas e a aposta num conjunto de setores considerados estratégicos para o desenvolvimento e modernização do país (energia, agricultura, indústria e turismo), mudaram de forma muito positiva a face económica do país, que se traduziu numa notável evolução do setor financeiro, dos serviços e da indústria.

Dispondo de uma situação macroeconómica relativamente estável, de boas perspetivas de crescimento (com taxas de crescimento do PIB superiores a 3% nos próximos anos) e tratando-se de um mercado próximo e de dimensão considerável, Marrocos apresenta um leque de oportunidades que tornam o país muito atrativo para as exportações e o investimento portugueses.

De facto, Marrocos representa um importante mercado para o comércio internacional português de bens, posicionando-se, em 2016, no 10º lugar no ranking de clientes (3º fora do espaço europeu). As transações comerciais entre os dois países são tradicionalmente favoráveis a Portugal, com as exportações portuguesas a apresentarem, no período 2012-2016, um crescimento médio anual de 15%, atingindo 711,9 milhões de euros no último ano. Também o número de empresas portuguesas envolvidas na exportação de bens para Marrocos tem vindo a aumentar, tendo sido registadas 1 307 empresas em 2016.

O crescente interesse pelo mercado é igualmente confirmado pelo conjunto significativo de firmas portuguesas instaladas em Marrocos, sendo de notar o reforço da tendência para o incremento das pequenas e médias empresas (PME) nacionais em detrimento das grandes empresas. Em termos setoriais, a presença nacional é cada vez mais diversificada. Para além da fileira da construção (construção e obras públicas e materiais de construção), constata-se de forma crescente, a presença de empresas nas áreas da consultoria e engenharia, têxteis e confeção, indústria farmacêutica, energia, agroindústria e serviços, assim como no setor automóvel.

O legado decorrente do aprofundamento das relações entre a União Europeia (UE) e Marrocos, de que o Acordo de Associação Euro-Mediterrânico é exemplo vivo, oferece às empresas perspetivas de desenvolvimento da sua atividade no mercado marroquino.



%d bloggers like this: