Presidente da CEVAL aborda investimento transfronteiriço em artigo da Notícias Magazine do JN - CEVAL
27230
post-template-default,single,single-post,postid-27230,single-format-standard,bridge-core-2.1.8,ajax_fade,page_not_loaded,,qode_grid_1300,footer_responsive_adv,qode-content-sidebar-responsive,qode-theme-ver-20.5,qode-theme-bridge,qode_header_in_grid,wpb-js-composer js-comp-ver-6.1,vc_responsive
 

Presidente da CEVAL aborda investimento transfronteiriço em artigo da Notícias Magazine do JN

Presidente da CEVAL aborda investimento transfronteiriço em artigo da Notícias Magazine do JN

Foi no passado domingo, na edição da revista Notícias Magazine do JN, que Luís Ceia, Presidente da CEVAL, abordou a questão do crescimento do investimento no Alto Minho.

Convidado a comentar o ‘crescente fascínio dos galegos pelo mercado laboral do norte de Portu­gal’, o Presidente da Confederação Empresarial do Alto Minho expôs um conjunto de questões que replicamos do artigo escrito a 12 de Janeiro:

 

Luís Ceia, presidente da Confederação Empresarial do Alto Minho (CEVAL) e conhecedor profundo da região, no que ao mercado de trabalho diz respeito, expõe outras motivações para o fenómeno. “Desde logo, o forte desenvolvimento industrial que tem havido, particularmente nas regiões raianas, muito direcionadas para indústrias da componente automóvel. Se olharmos para a estatística, para os dez últimos grandes investimentos que houve nesta região [que inclui a Galiza e o norte de Portugal], nove foram feitos em Portugal.”

E porque é que o nosso país reúne condições que favorecem o investimento? Por uma multiplicidade de fatores. “Os salários mais baixos que se praticam cá, a crescente qualificação dos nossos recursos humanos, a questão dos fundos co­munitários atribuídos às regiões de convergência, que ainda é o caso do norte de Portugal”, enumera o líder da CEVAL, que aponta também vantagens ao nível – da (menor) burocracia. “Isto é uma opinião mais pessoal, mas acho que o facto de no norte de Portugal falarmos de cidades com pequena e média dimensão gera uma maior proximidade. Por exemplo, temos presidentes de câmara que fazem questão de ir buscar os investidores ao aeroporto e de lhes mostrar a cidade.”

 

 

No Comments

Sorry, the comment form is closed at this time.

Chinese (Simplified)DutchEnglishFrenchGermanItalianPortugueseSpanish
%d bloggers like this: