Mercado: Qatar - CEVAL
25794
post-template-default,single,single-post,postid-25794,single-format-standard,bridge-core-1.0.4,ajax_fade,page_not_loaded,,qode_grid_1300,footer_responsive_adv,qode-content-sidebar-responsive,transparent_content,qode-child-theme-ver-1.0.0,qode-theme-ver-18.0.9,qode-theme-bridge,qode_header_in_grid,wpb-js-composer js-comp-ver-5.7,vc_responsive
 

Mercado: Qatar

Mercado: Qatar

O Estado do Qatar é constituído por uma população de 2,6 milhões de habitantes, dos quais apenas cerca de 10% são qataris, dispondo de um PIB per capita de 59 320 USD em 2016, segundo dados do EIU – The Economist Intelligence Unit. A economia do Qatar tem prosperado, sobretudo, pelo facto da sua principal riqueza ser o gás natural e, ainda, pelos esforços que as autoridades oficiais têm vindo a realizar através das suas políticas económicas de desenvolvimento do setor privado não relacionado com o setor energético (gás e petróleo).

Contudo, ao longo dos últimos anos o ritmo de crescimento da economia do Qatar tem vindo a desacelerar gradualmente, em consequência da redução dos preços do petróleo nos mercados internacionais, situando-se o incremento do PIB, em 2016, em 2,2%. As previsões do EIU para 2017 e 2018 vão no sentido de poderem ocorrer crescimentos do PIB inferiores aos registados nos anos anteriores, sendo as percentagens, respetivamente, de 0,8% e 1,1%.

A economia qatari, à semelhança das outras economias do Golfo, enfrenta alguns desafios económicos. O mais relevante relaciona-se com o controlo das despesas face ao baixo preço do petróleo ao mesmo tempo que o país continua a dinamizar o programa de infraestruturas, nomeadamente o relacionado com a organização do Mundial de Futebol de 2022. Mais recentemente, o Qatar tem enfrentado alguns constrangimentos com outros países do Golfo, o que poderá trazer consequências ao nível económico.

Em termos do relacionamento económico bilateral, o Qatar ocupou a 68ª posição no ranking de clientes das exportações portuguesas de bens em 2016, situando-se no 87º lugar enquanto fornecedor. As exportações portuguesas de bens para o Qatar registaram uma taxa média de crescimento anual de 25%, nos últimos cinco anos, enquanto o número de empresas portuguesas exportadoras para o Qatar aumentou 79% entre 2012 e 2016.

Ao nível das trocas comerciais, o regime de comércio externo do Qatar estabelece poucas restrições sobre as importações, não obstante, estas operações apenas podem ser realizadas por cidadãos nacionais do Qatar/Conselho de Cooperação do Golfo (CCG) ou empresas comerciais detidas, pelo menos, em 51% por cidadãos nacionais do Qatar/CCG, devidamente registados para esse efeito junto do Ministry of Economy and Commerce (MEC) e da Câmara de Comércio e Indústria do Qatar (Qatar Chamber). Deste modo, a abordagem do mercado com recurso a um agente/representante local (contrato de agência / Agent Contract) assume uma importância fundamental.



%d bloggers like this: